Como a digitalização está impulsionando as fábricas inteligentes do futuro

Por: Sree Hameed 10/02/2022

Os últimos 18 meses foram desafiadores para todos os negócios globais, mas o setor manufatureiro, em particular, encontrou-se em vias de mudança completa e profunda. Como a pandemia interrompeu as cadeias de fornecimento globalmente, os proprietários de fábricas foram forçados a responder à rápida mudança da demanda com agilidade, velocidade e agilidade recém-descobertas.

Com essas lições em mãos, os imperativos de negócios emergentes atuais para a indústria manufatureira incluem flexibilidade, resiliência da cadeia de suprimentos, aumento da produtividade e sustentabilidade. A otimização e integração, tanto do planejamento de negócios quanto da execução da fabricação, em um único sistema digital representa o próximo passo vencedor para os fabricantes, para o crescimento, e a rentabilidade.

Simplificando, aqueles sistemas de fabricação que permitem uma cadeia de valor orientada à demanda e dinamicamente otimizada sobreviverão - e prosperarão - na próxima década e além.

Demandas crescentes

Nos próximos anos, as fábricas enfrentarão requisitos regulatórios e de conformidade cada vez mais rigorosos, bem como a crescente pressão pública e governamental para serem sustentáveis e eficientes em termos energéticos.

Tais demandas também se encaixam com as tendências globais para a adoção de novos processos de circularidade, redução de carbono e redução de desperdícios. Não basta que os sistemas de envelhecimento de hoje estejam aptos para uma era da indústria 4.0 - eles devem estar prontos para a Indústria 5.0.

Em meio a essa era de rápida digitalização, muitas plantas iniciaram atividades transformadoras que alinham sistemas de fabricação para proporcionar melhorias operacionais e de negócios. As tecnologias digitais estão no centro dessas mudanças, dada a sua capacidade de gerar benefícios exponenciais de produtividade e sustentabilidade em toda a cadeia de valor.


Continua depois da publicidade


De acordo com o Fórum Econômico Mundial, o valor das transformações digitais na Quarta Revolução Industrial (4IR) está estimado em US$ 100 trilhões nos próximos 10 anos. O setor manufatureiro, que há muito vem sendo um motor da prosperidade global e do crescimento econômico, é fundamental para essa transformação.

Automação e além

Globalmente, no geral, as empresas de manufatura iniciaram a transformação digital com automação de plantas e máquinas para minimizar as operações manuais e maximizar a produção.

Mas a tecnologia mais avançada, como os sistemas de execução de fabricação (MES), vai além da redução de processos manuais para transformar a funcionalidade principal do aplicativo e o desempenho dos negócios.

Os avanços tecnológicos em big data e análise preditiva, gerenciamento de processos de negócios, aplicativos móveis e realidade aumentada estão permitindo que os fabricantes capacitem as operadoras a entender os dados operacionais.

Dados detalhados do histórico de produção oferecem oportunidades de retorno, fornecendo insights de otimização e facilitação de melhoria contínua. A visibilidade das operações e do status dos recursos permite uma melhor tomada de decisão e colaboração entre as funções da planta e da empresa.

Além disso, novas tecnologias de plataforma e integração, como nuvem, IoT, IIoT e dispositivos inteligentes e de borda, estão reduzindo o custo da transformação digital no setor manufatureiro.

Fábricas inteligentes

Conceitos como o gêmeo digital e a transformação digital do trabalho estão cada vez mais se tornando as ferramentas para melhorar a eficiência operacional e impulsionar os resultados de negócios necessários nas fábricas do setor manufatureiro.

O MES continua a desempenhar um papel central aqui. À medida que as máquinas se tornam mais inteligentes (as 'coisas' em IoT), a MES une essas máquinas com trabalhadores conectados e outros ativos conectados -- transformando essa coleção de máquinas 'inteligentes' em uma fábrica 'inteligente'.

O ROI sobre investimentos em MES pode ser profundo e transformador -- liderado por melhorias na eficiência operacional, qualidade e conformidade.

Os ganhos de eficiência operacional podem ser vistos no aumento do desempenho dos ativos e na produtividade da planta, na troca mais rápida do produto e no aumento da produtividade.

Enquanto isso, melhorias de qualidade e conformidade são entregues através de especificações de produtos e processos, redução de desperdícios e retrabalhos, rastreabilidade detalhada, indicações e gerenciamento de recalls.

Esses tipos de ganhos de fabricação podem ser vistos em toda a gama de indústrias globais, desde produtos químicos, farmacêuticos e mineração até agricultura e alimentos e bebidas.

Ganhos transformacionais

Um caso em questão na Borg Manufacturing, uma empresa australiana líder na produção de melamina e de marcenaria, que se orgulha de abraçar a inovação para impulsionar suas operações sustentáveis.

Com mais de 2.000 funcionários em 20 localizações, a Borg queria aumentar a flexibilidade do lote em produtos, acelerando a produção consistente e de alta qualidade e mantendo sua promessa comercial de entrega no próximo dia.

Ao implementar um sistema integrado de automação e MES da AVEVA, a Borg conseguiu acelerar sua visão de fabricação sustentável.

A empresa australiana agora é capaz de cumprir sua promessa de entrega no dia seguinte com mais de 7.500 produtos feitos sob encomenda e 1.200 itens de estoque, diariamente. Também é capaz de executar padrões consistentes de automação e operações sustentáveis em todos os seus sites.

A Borg obteve ganhos de eficiência de 400% como resultado do sistema MES integrado. O desperdício na produção de armazéns reduziu de 5% para 2% e a eficiência da linha aumentou de 4.000 para 6.000 itens escolhidos por turno.

O caso da digitalização no setor manufatureiro é claro. Impulsionados pela implacável e crescente necessidade de agilidade e resiliência, os fabricantes poderão capacitar sua força de trabalho através da transformação digital e construir as fábricas inteligentes do futuro, desbloqueando benefícios de valor para todas as partes interessadas ao longo do caminho.

*O conteúdo e a opinião expressa neste artigo não representam a opinião do Grupo CIMM e são de responsabilidade do autor.

Gostou? Então compartilhe:

Sree Hameed

Estrategista da Indústria de Produtos de Consumo, AVEVA.