Mercado de Realidade Aumentada e Virtual cresce "bastante" em um ano, diz estudo

Por: Redação CIMM/Assessoria de Imprensa 09/11/2020  

Para obter uma visão global do segmento que reúne empresas de Realidade Aumentada (AR), Virtual (VR), Mista (MR) e de Cloud, a everis, consultoria multinacional de negócios e TI do Grupo NTT Data, realizou o "X-Reality Inside 2020". O mapeamento resultou no primeiro panorama das aplicações de X-Reality no Brasil. O relatório identificou que o volume de empresas e de serviços de Realidade Aumentada e Virtual cresceu bastante em 2019/2020, enquanto o preço dos dispositivos autônomos para desenvolvedores e consumidores diminui gradativamente.

A iniciativa foi liderada pela área de Digital Technology Innovation, da everis, que conta com laboratório de pesquisa e desenvolvimento no Brasil, México, Peru e Chile, com a finalidade de estudar e produzir soluções disruptivas, com tecnologias avançadas, como Realidade Aumentada, Virtual e Mista, Plataformas de Computação Espacial, IA, Phygital e Blockchain. 

"A diversidade do ecossistema X-Reality não é tão aparente, mas sua compilação e organização revelou um potencial de crescimento orgânico do mercado, apesar de ainda existirem alguns obstáculos à sua popularização para os usuários finais, tais como; capacidade da bateria, qualidade das lentes, limites de processamento e excesso de sensores espaciais, que estão sendo superados. Os itens com grande potencial para solucionar as barreiras atuais são a projeção de imagens na íris, renderização remota, obstrução de imagens 3D (oclusion) por Inteligência Artificial e de redes 5G", diz Roberto Pereira, diretor do Digital Lab e de Inovação da everis Brasil.

"Por outro lado, o surgimento de novos players e os altos investimentos, estão acelerando a adoção e aplicação de novos casos de uso, avançando para uso integrado com outras tecnologias e baseadas na web", complementa.

Atualmente, a tecnologias mais adotadas são as de Realidade Aumentada (AR), que vem sendo utilizada pelos setores bancários, de seguros, aeroespacial e de defesa, turismo e lazer, meio ambiente e sustentabilidade, telecomunicações e mídia, além de segurança e manufatura, com projetos ainda incipientes em outras áreas. 


Continua depois da publicidade


Em segundo lugar está a adoção de Realidade Virtual, especialmente pelo setor público, de infraestrutura e imobiliário, manufatura, defesa e de entretenimento, cujo avanço é mais lento em função de necessidade de devices (óculos e equipamento de transmissão) que ainda são caros e pouco acessíveis aos consumidores. 

O uso de Realidade Mista (MR) ainda é pontual, sendo mais comum na área de saúde para treinamento dos profissionais e no mercado imobiliário.

"Há uma grande diversidade de fornecedores de tecnologias X-Reality no mercado, foram mapeadas como relevantes 43 de RA, 37 de RV, 19 de MR e 18 de plataformas na nuvem. Algumas delas têm soluções que se integram e interagem, propiciando serviços mais inovadores e interessantes ao mercado, outras estão mais direcionadas aos seus respectivos segmentos de atuação. Mas a tendência é que ocorra uma maior integração entre diferentes produtos e serviços para propiciar uma maior massificação junto aos diferentes setores e aos consumidores em geral", analisa Pereira.

Como parte do estudo, a everis Lab Brasil também classificou os fornecedores com estrelas, de acordo com a qualidade dos produtos desenvolvidos com a solução, sua popularidade e capilaridade, assim como precificação e presença maciça em redes sociais, eventos, discursos e workshops.

"X-Reality já é um conceito consolidado no mercado global, o que se constata pelo número de fornecedores existentes, pela qualidade e variedade das soluções oferecidas e implementadas, assim como pelos investimentos que vêm sendo realizados. Essa percepção se comprova pelo fato de termos, só neste semestre, desenvolvido sete projetos com X-Reality para os setores de Varejo, Seguros e Financeiro", conclui Pereira.

Além disso, segundo Pereira, grandes empresas de tecnologia têm se mostrado preocupadas com a democratização e ampliação do uso do X-Reality para transformação e geração de novos negócios. Facebook, Niantic, Magic Leap, Huawei, Amazon, Apple e Microsoft, lançaram projetos que trazem alto impacto na evolução do ecossistema de desenvolvimento em grandes empresas. Outros conceitos em evidência são os de Computação e Web Espacial, que reforçam todo o potencial de tornarem-se o grande habilitador da massificação de serviços baseados em X-Reality, a custos mais acessíveis e promovendo o engajamento.

Impacto por setor

"Para as indústrias do setor de varejo, financeiro, automotivo e de bens de consumo, a Web Espacial mudará a maneira como os clientes interagem com as marcas e são engajados no consumo, bem como o uso dos espaços das agências e pontos de venda.
Na área de saúde e autocuidado, a Web Espacial vai transformar a forma sobre como os pacientes previnem doenças e recebem assistência médica. Nos serviços públicos, arquitetura, engenharia e manufatura, por sua vez, será ampliada a capacidade de simulação e de diagnósticos de projetos e situações de manutenção", diz Pereira.

Descrição das tecnologias

  • Realidade Aumentada (AR) - versão aprimorada da realidade criada pelo uso da tecnologia para sobrepor informações digitais em uma imagem ou ambiente para ser visto por meio de um dispositivo, normalmente um smartphone ou dispositivo headset sem capacidade de mapeamento ambiental.
  • Realidade Virtual (VR) - é o uso da tecnologia de computador para criar um ambiente totalmente imersivo e simulado por meio de um dispositivo headset.
  • Realidade Mista (MR) - é a fusão entre mundos reais e virtuais para produzir novos ambientes e visualizações, nos quais objetos físicos e digitais coexistem e interagem em tempo real.
  • Plataformas de Computação na Nuvem - apoia a criação de soluções de AR, VR, MR e Computação Espacial, total ou parcialmente baseadas na Web.

Gostou? Então compartilhe: