BRDE tem programa de startups com soluções em: indústria 4.0, IoT, energia, logística

Iniciativa vai ser operacionalizada pela aceleradora Ventiur em parceria com Aliança pela Inovação. Busca empresas com soluções de agronegócio, saúde, indústria 4.0, Internet das Coisas (IoT), TI, energia, educação, logística e meio ambiente. As inscrições vão até o final do mês.

Por: Baguete 06/05/2020  

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul – BRDE acaba de lançar um programa de aceleração de startups, visando encontrar 10 empresas que possam fazer a diferença em um cenário econômico pós-Covid-19.

Batizada de BRDE Labs, a iniciativa será operacionalizada pela Ventiur, aceleradora gaúcha que está entre as principais do país, e busca empresas com soluções de agronegócio, saúde, indústria 4.0, Internet das Coisas (IoT), TI, energia, educação, logística e meio ambiente. As inscrições vão até o final do mês.

A proposta da Ventiur foi apresentada em parceria com a Aliança Pela Inovação, um movimento para melhorar o ecossistema de tecnologia em Porto Alegre liderado por UFRGS, Unisinos e PUC-RS.

As três universidades vão oferecer mentorias e indicação de profissionais para colaborar com o programa, além de espaço físico nos seus parques tecnológicos para algumas ações do BRDE Labs.

As startups que se inscreverem no BRDE Labs passarão entrevistas e desafios online. A aceleração deve acontecer de agosto a novembro de 2020.


Continua depois da publicidade


Serão oferecidos eventos online (lives) com economistas, sociólogos e outros profissionais, para análise do comportamento do consumidor no cenário pós-coronavírus, novas necessidades, demandas e problemas a serem resolvidos no novo contexto.

A expectativa é de que parte das atividades se realizem de forma presencial, em Porto Alegre. Para tanto, as startups do interior do Rio Grande do Sul receberão ajuda de custo para deslocamento, estadia e alimentação. 

Ao final do programa, as três melhores startups receberão uma premiação do BRDE, além da possibilidade de aporte adicional por parte da rede de investidores da Ventiur e/ou fundos apoiados pelo banco.

"O BRDE já atua fortemente no fomento à inovação por meio de financiamento direto ou participação em fundos de investimento. Essas iniciativas, porém, se destinam a empresas mais consolidadas. Com o BRDE Labs, pretendemos alcançar empreendedores em estágio inicial, que ainda não estão prontos para receber aportes de um fundo ou mesmo um financiamento", esclarece Mauricio Mocelin, superintendente do BRDE no Rio Grande do Sul. 

A Ventiur foi a primeira aceleradora de startups do Rio Grande do Sul, iniciando as operações em 2013. Até o momento prospectou e avaliou diretamente mais de 2.000 startups, pré-acelerou 166 projetos na etapa de Warmup e acelerou 45 startups.

Como caso de sucesso, destaca-se a venda da startup Devorando para o iFood, em 2016. Das startups que estão atualmente no portfólio, cerca de 30% receberam novas rodadas de investimento público ou privado. No total, foram captados com o apoio da aceleradora cerca de R$ 20 milhões.

A aceleradora tem experiência em projetos envolvendo empresas e universidades.

No ano passado, ela ajudou a viabilizar uma iniciativa do Instituto Hélice junto da UCS visando acelerar startups na Serra Gaúcha.

O Instituto Hélice é um movimento de inovação criado por Randon, Florense, Marcopolo e Soprano, quatro grandes empresas sediadas na Serra Gaúcha, pólo industrial do Rio Grande do Sul.

Gostou? Então compartilhe:


Comentários