Saiba como a IoT pode reduzir os custos com manutenção

Por: João Marcio Tosmann 30/06/2022

Apesar dos avanços da indústria nos últimos anos, os pilares da Indústria 4.0 ainda estão sendo consolidados no Brasil. Segundo dados do FSB Pesquisa, realizada em 2020 com executivos de 509 empresas industriais, 45% dos entrevistados nunca ouviram falar sobre a quarta revolução industrial.

Por outro lado, a porcentagem que já ouviu falar desse conceito e investiu, entende as seguintes tecnologias como principais da Indústria 4.0: Computação em Nuvem (52%); Sensores (36%) Softwares de gestão avançada da produção (33%); Sistema de conexão Machine-to-Machine ou M2M (27%); Impressão 3D (13%); Inteligência Artificial (10%); Robótica Avançada (7%); Big Data (6%).

Ainda segundo a pesquisa, 54% das empresas em que os executivos trabalham, registraram, no final de 2020, lucro igual ou maior do que o período pré-pandemia. Esse dado demonstra que o processo de modernização por meio da IoT, ainda que em um período conturbado, é ideal para superar os desafios da indústria.

De acordo com outra pesquisa, desta vez realizada pelo SENAI, em um programa-piloto com micro, pequenas e médias empresas, a adoção de sensores e IoT permitiram um aumento de 22% da produtividade apenas com um investimento inicial da tecnologia.

Uma das empresas que participou do projeto, conquistou, ao longo de 4 anos, ganhos de 86% em seu sistema produtivo.

A Manutenção 4.0

As empresas que utilizam IoT e as principais tecnologias da Indústria 4.0 conseguem atingir maiores ganhos de produtividade e redução de custos principalmente por unificarem os dados dos equipamentos e enxergarem todos os processos como um só.

Imagine que uma empresa utiliza sensores nos processos fabris. Todos os dados que os sensores captam são direcionados para os trabalhadores, podendo observar qualquer alteração e prever manutenções necessárias.


Continua depois da publicidade


O fato de conseguir realizar uma manutenção preditiva, ou seja, uma manutenção inteligente que avalia a confiabilidade das instalações, o desempenho de cada equipamento e as variações da produção, é um ganho enorme para a indústria.

A manutenção preditiva permite que o processo produtivo não seja afetado por uma quebra de máquina ou até mesmo por um acidente de trabalho que poderiam ser evitados, além de evitar outras consequências como:

  • Aumento dos custos operacionais;
  • Atraso dos prazos de produção;
  • Desperdício de matéria-prima;
  • Aumento dos riscos de acidentes;
  • Diminuição dos lucros;
  • Insatisfação dos clientes;
  • Perda de contratos.

Tecnologias da Manutenção 4.0

Através de diversas tecnologias inovadoras da Indústria 4.0, é possível unificar as informações das empresas, cruzar os dados, prever possíveis falhas e adiantar as manutenções para que as falhas não aconteçam e os gastos não sejam elevados. Confira abaixo algumas das tecnologias disponíveis!

  • Sensores: existem diversos tipos de sensores que podem ser utilizados na indústria, como o sensor de temperatura, sensor de nível, sensor ultrassônico e o sensor de vibração. Através deles é possível analisar o desempenho das máquinas e monitorar qualquer alteração das variações adequadas de funcionamento.
  • Big Data: esse termo é utilizado para falar de grandes conjuntos de dados que precisam ser processados e armazenados. A partir dessa reunião de informações, é possível melhorar o desempenho dos processos e facilitar as tomadas de decisões.
  • Inteligência Artificial (IA): a IA permite que softwares e robôs exerçam funções similares às humanas através de algoritmos, dados coletados e cruzamento de informações. Algumas das principais tecnologias utilizadas são o Machine Learning, que se trata do aprendizado das máquinas; O Processamento de Linguagem Natural (PLN), que reproduz os processos assim como a linguagem humana; E o Deep Learning, que permite um aprendizado mais profundo através da captação de inúmeros dados.
  • Cyber Security: sistema de proteção contra roubo ou danos de software, hardware e outras informações eletrônicas.
  • Computação em Nuvem: fornecimento de serviços em nuvem, como servidores, banco de dados, software, redes e outros dados por meio da internet. Através da computação em nuvem é possível reduzir os custos operacionais e de infraestrutura.
*O conteúdo e a opinião expressa neste artigo não representam a opinião do Grupo CIMM e são de responsabilidade do autor.

Gostou? Então compartilhe:

João Marcio Tosmann

Formado em Engenharia Elétrica, com ênfase em Eletrônica, pela PUC-RS, com pós-graduação em Administração Industrial pela USP e MBA em Marketing pela ESPM. Atualmente é diretor da Tagout, indústria de produtos de Bloqueio e Etiquetagem que oferece consultoria, treinamento e elaboração de procedimentos para implantação do Programa de Controle de Energias Perigosas (PCEP).