Artigos

O que muda na gestão das indústrias 4.0?

09/03/2020

O conceito de indústria 4.0 impõem uma nova rotina às fábricas. Com maior uso de tecnologia, maior nível de automação e um volume alto de dados a serem analisados e ativados, os profissionais que atuam  nestes ambientes precisam se adaptar, deixando funções puramente operacionais e se dedicando a um pensamento mais analítico. 

Essa regra serve para os funcionários chão de fábrica, que não vão mais apertar parafusos ou fazer controle de qualidade, mas sim atuar em conjunto com as máquinas de forma mais inteligente; até os níveis gerenciais, que precisarão ter uma visão muito mais analítica, estatística e ampla. 

 

Afinal, o que muda na gestão das indústrias 4.0?

Com o uso crescente de inteligência artificial, IoT, automação de processos, entre outros, os gerentes das novas fábricas precisarão se concentrar em ter uma visão analítica em todas as etapas do seu trabalho. Aprendendo a ler dados, interpretá-los e tomar decisões a partir dele, nas áreas de:


Continua depois da publicidade


Gestão operacional: as operações do dia-a-dia ganham uma autonomia maior na indústria 4.0, cabe à gestão, portanto, olhar para os dados de produção e garantir que condizem com as metas diárias; garantir a integração entre os processos, procurando por tecnologias que conversem entre si, além de determinar até onde vai a automação e quais etapas precisam de um olhar humano; gerenciar softwares para ver se as demandas estão de acordo com o programado/ esperado; entre outros.

Gestão de processos: desenhar o fluxo de produção e garantir que ele ocorra de forma fluída, também é função do gestor. Para isso, ele precisa entender quais as melhores tecnologias para a realidade da fábrica, traçar um plano - financeiro e operacional - de implementação e acompanhar o fluxo.Depois disso rodando, o gestor deve sempre estar de olho nas metas e produções, para entender onde estão os gargalos e procurar soluções efetivas com base nos dados.

Gestão de tecnologia: além de informações sobre o processo produtivo, as máquinas da indústria 4.0 podem também fornecer dados sobre seu próprio funcionamento. Cabe ao gestor ficar atento a esses detalhes a fim de realizar a manutenção preditiva e decidir a melhor hora de fazer ajustes nas máquinas - a fim de impactar menos o possível na produção diária. Essa função é essencial para que não seja necessária parar uma máquina para manutenção, ou pior, um lote seja perdido por falhas técnicas. 

Gestão de pessoas: dito isso, é importante que o gestor das indústrias 4.0  continue olhando para as pessoas. Entender como as habilidades de cada um podem ser exploradas em funções mais estratégicas, incentivar que os trabalhadores se profissionalizem, oferecer cursos de como usar toda a tecnologia, por exemplo, é função do gestor. 

 

Resumindo

Se formos olhar de maneira superficial, a gestão continua com o mesmo papel: olhar para os ativos da empresa e garantir que eles trabalhem da melhor forma possível  para chegar aos resultados esperados. O diferencial é que, na indústria 4.0, isso é feito com o apoio de dados, automação, tecnologia de ponta e gerenciamento estratégico de mão-de-obra. Isso confere maior produtividade, redução de custos e eficiência às indústrias.

 

Produzido por:

Gabriela Pederneiras

Jornalista | Assessora de imprensa | Redatora | CIMM


Comentários

 


Artigos Relacionados

Como vencer os obstáculos rumo à Qualidade 4.0 - Imagem: Pilgrim
Artigos

Como vencer os obstáculos rumo à Qualidade 4.0

Publicidade »

Publicidade »


Logística 4.0: O Gêmeo Digital, uma nova fase da logística

A Logística está adotando os conceitos da Industria 4.0 e iniciando uma nova fase, a Logística 4.0.


Publicidade »

Publicidade »