Artigos

Robótica colaborativa: o que é e quais seus benefícios?

Saiba como os robôs podem atuar lado a lado com seres humanos para imprimir mais produtividade à indústria
10/06/2019

A robótica colaborativa é uma tecnologia recente que permite que robôs possam trabalhar lado a lado a operadores, de forma colaborativa. Isso é possível porque esses robôs possuem sensores que permitem detectar colisões com qualquer obstáculo, privilegiando a segurança. O impacto disto nas indústrias é gigantesco, uma vez que esses robôs conseguem realizar a mesma tarefa que pessoas, sem  a necessidade de alterar demais o ambiente fabril para acomodá-los. Com isso, as fábricas podem aumentar a sua produtividade com a mesma quantidade de funcionários.

Os robôs inseridos neste contexto, porém, têm algumas restrições se comparados com os tradicionais. Entre elas estão: carregam pesos menores, trabalham com velocidades menores, têm alcances mais limitados. Entretanto, a implementação de um robô colaborativo não difere tanto de um projeto de um robô tradicional: é necessário desenvolver a garra (a mão do robô), verificar o alcance, o tempo de ciclo, a disposição dos materiais ao redor do posto de trabalho e sua integração com os equipamentos existentes.


Continua depois da publicidade


Um ponto importante é que no caso do robô colaborativo é necessário considerar ainda os potenciais riscos ligados ao trabalho próximo a pessoas (ferramentas cortantes ou não, altura da movimentação, monitoramento da área ao redor, ...). A tecnologia usada para executar tarefas repetidas, como a robótica colaborativa, se destaca pois ajuda a prevenir LER ou problemas de segurança aos operadores.

 

Robótica colaborativa na Indústria 4.0

A robótica foi elencada como uma das 9 tecnologias chaves para indústria 4.0. Os robôs mais modernos possuem a capacidade de conectividade para serem monitorados em tempo real e adaptarem a sua atividade em função do que está sendo produzido.

No mercado, começaram a aparecer novos tipos de robôs colaborativos nos últimos 2 anos,   os robôs móveis. Estes são parecidos com pequenos carros elétricos, e permitem movimentar cargas de um lado ao outro da fábrica, de forma totalmente autônoma. Eles têm vários sensores e são capazes de identificar o ambiente onde são inseridos para desviar de obstáculos e planejar rotas diferentes caso o caminho ideal seja obstruído. A Pollux foi precursora em introduzir esses robôs no Brasil.

De acordo com Cedric Craze, diretor da Pollux, a densidade robótica no país hoje é de 10 robôs para cada 10.000 trabalhadores. Países desenvolvidos têm entre 350 e 450 robôs para cada 10.000 trabalhador. “Mesmo assim, esses países têm um índice de desemprego bem menor que o Brasil. Isso significa que o aumento de produtividade dessas fábricas permite gerar mais empregos, geralmente mais voltados para novos produtos, novos serviços, etc”, conclui Craze.

Produzido por:

Gabriela Pederneiras

Jornalista | Assessora de imprensa | Redatora


Comentários

 


Artigos Relacionados

Integração entre Sistemas na Indústria 4.0 - Imagem: Internet
Artigos

Integração entre Sistemas na Indústria 4.0

Operações bem executadas são o caminho para a rentabilidade - Imagem: Yaskawa Motoman
Artigos

Operações bem executadas são o caminho para a rentabilidade

O uso de robôs de manipulação ou robôs colaborativos (cobot) para cumprir diversas tarefas com eficiência e precisão.

Publicidade »

Publicidade »


Indústria 4.0 - Inteligência industrial e a digitalização : 2018

Conectando Vendas, Engenharia e Fabricação.


Publicidade »

Publicidade »