Artigos

Simulação na Indústria 4.0

Alimentados com dados, softwares de simulação ajudam as fábricas a testarem processos sem que para isso a produção seja interrompida ou prejudicada
03/06/2019

O uso de simulação nas fábricas une diferentes agentes da Indústria 4.0. Os conceitos de Big Data, Machine Learning, Metodologia Lean e Inteligência Artificial são usados para entender pontos de melhorias no processo da manufatura, propor soluções, testar hipóteses, aplicar as mudanças e metrificá-las.

A simulação pode ser feita por meio de softwares específicos. Eles captam os dados da  produção e fazem análises de variáveis e de intervalos de tempo. Juntos, os indicadores conseguem apontar onde estão os gargalos da produção e o que poderia ser feito para solucioná-los.

A efetividade da simulação depende da quantidade e qualidade dos dados que alimentam os sistemas. Por isso, para implementar esta metodologia, a fábrica precisa já ter uma estrutura de dados organizada, que os unifique e padronizem, a fim do sistema poder usar as informações.

Alimentados por estes dados, os sistemas de simulação ajudam a analisar o processo fabril de maneira integral, olhando para pontos específicos como estoque, peças e mão de obra. Além disso, o software consegue analisar a interação entre estes fatores, simulando melhorias.


Continua depois da publicidade


A principal vantagem da simulação na Indústria 4.0 é que ela evita prejuízos. No lugar de dispor de um investimento para validar uma ideia que pode ser útil ou não, são alocados recursos apenas para ações já validadas.

O processo de simulação acontece da seguinte forma:

  • Definição de problema: O primeiro passo é saber o que precisa ser aprimorado dentro do processo fabril. Para isso, pode-se analisar o sistema, identificar os gargalos, as variáveis que ele envolve e as possibilidades de solução;
  • Validação: Depois, é preciso optar por uma das soluções e rodar novas simulações dentro do sistema para determinar se esta é a melhor opção para resolver a necessidade inicial.
  • Melhoria: Olhar para soluções internas da fábrica e para o que outras indústrias estão fazendo também ajuda a validar o processo. Além disso, essa prática ainda contribui para aprimorar a solução encontrada.
  • Implementação: Com todas as informações em mãos e resultados positivos provenientes das simulações feitas no software, é possível implementar as melhorias.
  • Metrificação: Por último, é preciso monitorar os resultados da melhoria  para continuar a incrementá-la de acordo com as necessidades da indústria.

 

A regra para a simulação fabril é, portanto, definir hipóteses, testá-las por meio do software, avaliar os resultados, melhorar a partir de pesquisas de mercado, implementar a melhoria na fábrica e monitorar.

A simulação ajuda as indústrias a se inserirem no conceito 4.0 ao passo que utiliza a inteligência artificial, alimentada por dados, para encontrar problemas e validar soluções sem perder tempo de fabricação ou recursos por conta de escolhas erradas.

Produzido por:

Gabriela Pederneiras

Jornalista | Assessora de imprensa | Redatora


Comentários

 


Artigos Relacionados

Se sua empresa não é boa em Analytics, ela ainda não está pronta para a Inteligência Artificial
Artigos

Se sua empresa não é boa em Analytics, ela ainda não está pronta para a Inteligência Artificial

Muitos gestores (normalmente os desinformados) assumem que podem desconsiderar as práticas básicas recomendadas para análise de dados (Analytics), indo diretamente para a adoção de Inteligência...
Indústria 4.0: Mas afinal, o que muda realmente em uma empresa ?
Artigos

Indústria 4.0: Mas afinal, o que muda realmente em uma empresa ?

Indústria 4.0 não é só Manufatura e não é só chão de fábrica.

Publicidade »

Publicidade »


Simulação do Processo de Fundição

Eduardo Faria de Souza Machado, Altair Engineering do Brasil


Publicidade »

Publicidade »