Cloud, ou computação em nuvem, na indústria 4.0

Auxilia as indústrias a se adequarem ao conceito 4.0

Por: Gabriela Pederneiras 07/04/2019  

O Cloud Computing é uma tecnologia que faz parte da rotina de muitas pessoas, mesmo que elas não percebam. A chamada computação em nuvem está presente quando se consome conteúdo via streaming, edita documentos online, envia e-mails, entre outras tantas funções da vida cotidiana. Nas empresas, não é diferente. A nuvem é utilizada de a fim de armazenar informações, fazer análise de dados, acessar conteúdos e etc.

Basicamente o serviço de nuvem funciona assim: existe um provedor, que armazena uma quantidade enorme de informações, as analisa e distribui, e existe o receptor, que utiliza estas informações. A nuvem revolucionou o uso de dados ao passo que para se ter acesso a um documento, por exemplo, não é mais preciso tê-lo armazenado na própria máquina.

A tecnologia trouxe diversos benefícios, como diminuição de custo com armazenamento de informação, uma vez que as empresas não precisam mais obter os hardwares de armazenamento nem fazer a manutenção desta infraestrutura; aumento da velocidade do acesso à informação, já que com apenas um clique é possível abrir um documento, sem a necessidade de se ter uma banda larga da melhor qualidade para isso; escala, ao passo que as informações são descentralizadas, podendo ser acessadas, dependendo da autorização prévia, de qualquer lugar; desempenho, já que imprime velocidade e facilidade aos processos; e, por fim, segurança, porque os provedores investem em sistemas que protejam as informações que gerenciam.

Outro benefício da computação em nuvem é a atualização constante. Como a tecnologia fica a cargo do provedor, as empresas não precisam dispor de investimento para sempre estarem evoluindo seus hardwares, ou pesquisando novas formas de proteção da informação.


Continua depois da publicidade


 

Utilização na indústria 4.0

A atividade industrial, naturalmente, produz e consome muitos dados. Com a implementação do conceito 4.0, então, a tendência é de que cada vez mais os processos industriais necessitem e gerem mais informações. Armazenar, processar, distribuir corretamente e assegurar essa quantidade de dados não é tarefa fácil de ser feita sem o auxílio da tecnologia.

A computação em nuvem permite que as indústrias imprimam muito mais funcionalidades no seu dia a dia. Por exemplo, na fabricação de um peça, as máquinas precisam de informações de comando, como quantidade, modelo, material utilizado e etc. Ao mesmo tempo, elas produzem informações do seu desempenho, quantidade de peças produzidas, entre outras. Para um funcionário fazer a gestão deste processo com computação em nuvem, ele apenas precisa ter acesso ao software que recebe as informações do provedor.

Na indústria, a computação em nuvem também se destaca por permitir a descentralização da informação. Cada profissional que atua em uma fábrica pode ter as informações necessárias para executar seu trabalho, mesmo que estas sejam provenientes de outra planta, de forma rápida e organizada. Além disso, por meio de acessos restritos, é possível segmentar quem tem acesso a o que.

Basicamente, portanto, a computação em nuvem, ou cloud, auxilia as indústrias a se adequarem ao conceito 4.0 ao passo que fornece infraestrutura para simplificar processos, agilizar a comunicação e fornecer dados em tempo real.  O que se deve prestar mais atenção na aplicação  do Cloud à indústria são os requisitos de segurança da informação e garantia de sua transmissão. A tecnologia implementa os recursos fundamentais para a indústria 4.0.

 

Gostou? Então compartilhe:


Comentários

Gabriela Pederneiras

Jornalista | Assessora de imprensa | Redatora | CIMM