Indústria 4.0: qualificação é necessária para atualização tecnológica do setor

Em 2022, SENAI Ceará receberá novos laboratórios para aumentar a expertise para qualificar profissionais em profissões do futuro.

Por: Camila Gadelha/FIEC 04/11/2021  

O surgimento do que se convencionou chamar Indústria 4.0 vem transformando a produção industrial com novos processos, produtos e modelos de negócios e tornará os sistemas convencionais de produção gradualmente obsoletos. É um movimento sem volta e universal, ao qual todas as empresas, independente do seu porte e setor de atuação, precisarão se adaptar se quiserem permanecer competitivas. A Indústria 4.0 não será para poucos.

Considerando os desafios e oportunidades mundiais atreladas à Quarta Revolução Industrial, também denominada como Indústria 4.0, o SENAI oferece soluções para demandas dessa nova indústria a partir da oferta de soluções em Educação, Tecnologia e Inovação.

Apesar dos desafios, é uma grande oportunidade para a indústria brasileira, que terá a chance de, por meio do emprego de tecnologias digitais, dar um salto de produtividade que permitirá reduzir a distância do Brasil para as nações desenvolvidas. Mas é preciso senso de urgência, pois as principais nações industrializadas inseriram essas transformações no centro de suas estratégias de política industrial.

O SENAI compreende que a manufatura avançada é mais do que adotar novas tecnologias, como inteligência artificial e big data. Exige, entre outros aspectos, a qualificação dos profissionais que vão programar máquinas complexas, implantar novos processos e, principalmente, tomar decisões embasadas e em tempo real.

Os profissionais da indústria precisam ser requalificados, pois serão eles os responsáveis pela atualização tecnológica do setor. É fundamental que os trabalhadores estejam aptos a introduzir práticas inovadoras e ágeis nas empresas. Para isso, é necessário que eles tenham conhecimento sobre as novas tecnologias digitais, sobre técnicas de programação e análise de dados, assim como sejam capazes de resolver problemas complexos, por meio das chamadas competências socioemocionais - as softskills. É cada vez mais importante que os profissionais sejam criativos e empreendedores, com capacidade de liderança e de comunicação.

O futuro já chegou

Esse é o perfil do profissional de Tecnologia da Informação (TI) que o SENAI Ceará deve formar para trabalhar na indústria do futuro, que já não está tão longe. No final de julho, o SENAI Ceará e o Observatório da Indústria da FIEC promoveram um encontro com representantes de empresas para discutir sobre as principais dificuldades e necessidades de mão de obra especializada.


Continua depois da publicidade


O evento mapeou as principais lacunas de formação de profissionais nessa área de atuação para que fosse possível o desenvolvimento e implantação de cursos em sinergia com as principais necessidades do mercado. Foram apontadas as áreas: automação e integradores de TIC; sistemas digitais; introdução à inteligência artificial e big data; gestão no âmbito da indústria 4.0; automação + desenvolvimento TI; análise, tratamento e apresentação de dados (soluções industriais); análise e desenvolvimento de sistemas industriais; e retrofit de cursos (gestão da produção).

O SENAI está se debruçando sobre os resultados e prepara uma nova grade de cursos para 2022, focada em formar os profissionais necessários, de acordo com as demandas das empresas. As áreas de automação, mecatrônica, TI e eletrônica estão cada vez mais alinhadas. "Nesse momento, está acontecendo uma fusão entre a área de TI, automação e mecatrônica para formar um profissional inteiramente novo no mercado”, destaca o especialista técnico em TI e Telecomunicações do SENAI Ceará, Clayton Moura.

O profissional demandado pelo mercado atual, de acordo com o especialista, tem que estar apto a ser programador, mas também a fazer manutenção de ativos de equipamentos físicos. "O grande diferencial do SENAI Ceará é dispor de docentes altamente qualificados e todos os equipamentos para práticas. Oferecemos aos alunos todos os conhecimentos teóricos e também estrutura para práticas do ponto de vista de programação e também da configuração e manutenção de equipamentos", detalha o especialista do SENAI Ceará.

Por meio do projeto SENAI + Digital, o SENAI Ceará receberá três laboratórios de indústria 4.0 em 2022. Um deles será instalado na unidade do Jacarecanga, em Fortaleza, a escola referência nessa área. Com o equipamento, será possível trabalhar abordagens pedagógicas teóricas e práticas. O SENAI Barra do Ceará e o SENAI Maracanaú receberão outros dois laboratórios. Até o primeiro semestre de 2022, novos cursos vão utilizar esses espaços.

Cibersegurança

O aumento da digitalização das indústrias por conta da pandemia levou ao aumento de ataques cibernéticos em empresas e instituições em todo o mundo. De acordo com relatório da Kasperksy, no segundo semestre de 2020 os ataques contra sistemas de controle industriais (ICS) voltaram a crescer, depois de um ano de queda. A segurança cibernética envolve a proteção de informações e sistemas contra grandes ameaças, tais como o terrorismo cibernético, a guerra cibernética e a espionagem.

Em 2019, 3% das organizações registraram pelo menos uma intrusão ou violação parcialmente atribuída a uma lacuna em habilidades de segurança cibernética. De acordo com estimativas de especialistas, a área deve gerar 4,5 milhões de empregos nos próximos anos. Cerca de 68% das organizações lutam para recrutar, contratar e reter talentos de cibersegurança. Os profissionais precisam de treinamento especializado e constante ao longo da carreira.

A área é sensível e as demandas também foram detalhadas ao SENAI por profissionais da indústria durante evento realizado em parceria com o Observatório da Indústria, em julho. Foram apontadas carências de profissionais das áreas: especialização em cibersegurança; proteção e privacidade de dados; segurança em nuvem; gestão de TI: governança e compliance; computação forense; desenvolvimento seguro de aplicações; demandas transversais para cibersegurança; e segurança da informação para profissionais de outras áreas.

O SENAI Ceará conta com uma Academia SENAI de Segurança Cibernética, com expertise, equipamentos e docentes preparados para treinar profissionais nessa área. Uma das principais capacitações é o "Curso prático de simulação hiper-realista de ataques cibernéticos", de 40 horas.

O curso foi desenvolvido com metodologia focada no trabalho em equipe, em habilidades de liderança, técnicas de comunicação e conhecimento técnico. É totalmente prático, com exercícios interativos, possibilitando que os alunos sejam desafiados em uma série de cenários cada vez mais complexos, em uma intensa experiência imersiva em um ambiente cibernético extremamente aplicável a incidentes do mundo real. Em breve, outros cursos serão ofertados.

Cursos em oferta

O SENAI Ceará está com inscrições abertas para vários cursos na área de Tecnologia da Informação, Automação, Mecatrônica e Eletroeletrônica desde os básicos de Informática e Excel, passando por cursos de Segurança da Informação e Microsoft Power BI, até cursos técnicos em Desenvolvimento de Sistemas e Técnico em Redes de Computadores.

Clique AQUI, conheça mais e faça sua inscrição.

Gostou? Então compartilhe: