Como a automação industrial pode impulsionar o empreendedorismo de pequenas e médias operações

Por: Valmir Melo da Trindade 28/01/2021  

Em qualquer tipo de negócio, independentemente do seu porte, para manter a competitividade é crucial e mandatório otimizar e estabelecer uma posição de vanguarda quando o assunto é o gerenciamento e redução de custos, principalmente nas empresas de pequeno porte - com faturamento maior que R$ 360 mil e menor ou igual a R$ 4,8 milhões, segundo o BNDES - onde geralmente os custos já são enxutos. Tudo isso, sem comprometer a qualidade do produto ou serviço, o atendimento ao cliente e a capacidade de entregar experiências únicas.

Principalmente em um momento em que o mercado está aberto ao empreendedorismo e suas inovações, é tempo de aprender com as grandes empresas como as tecnologias da Indústria 4.0 e automação podem ser adaptadas ao universo dos pequenos e médios negócios que fazem parte da cadeia do setor industrial.

Controle mais eficiente

Para atender a todos esses requisitos, esses empreendedores precisam de mais eficiência no controle e na geração de relatórios, além de um planejamento de pequeno, médio e longo prazo. Uma solução simples e ao mesmo tempo avançada de automação pode ajudar fabricantes, fornecedores, prestadores de serviços ou varejistas de pequeno porte a aumentar a produtividade e alcançar os resultados desejados da força de trabalho e dos negócios.

Atualmente, existem aplicativos de software para automatizar uma ampla variedade de tarefas diárias, para que o líder da operação possa se concentrar em questões críticas dos negócios. Fabricantes entenderam que inovação e tecnologia precisam fazer parte da cultura das pequenas e médias empresas, passando a oferecer soluções cada vez mais intuitivas e acessíveis.

Um exemplo que pode até parecer complicado de início, mas que rapidamente passa a agregar valor no dia a dia, é a implantação de controladores lógicos programáveis (CLPs) com sistema MES (Manufacturing Execution Systems), integrado. Os CLPs atuam na automação e controle de processos industriais, independentemente de sua complexidade; e ter um sistema de MES conectado e integrado ao ERP é tarefa simples e que põe de lado a necessidade de se utilizar diversos softwares para integrar TA e TI. Tudo o que você precisa nesse tipo de solução é um cartão no barramento da CPU, o que reduz o custo total de propriedade se comparado com outras soluções de mercado.

Com isso, é possível impulsionar a interação entre a equipe de projetos e os fornecedores, através do acompanhamento de pedidos e recebimentos, gestão da cadeia de abastecimento e do inventário, integração de sistemas, de dados e configuração do monitoramento de dados, compartilhando alertas e rastreando o status do inventário. Enfim, você garante uma entrega rápida e pontual.

Além disso, você pode contar com a experiência de integradores de sistema que, além de serem especialistas em automação, oferecem mão de obra especializada e menor custo total da solução.

Outro exemplo prático de como a automação pode gerar valor é a utilização de inversores de frequência em partida de motores elétricos, que além de diminuir o consumo de energia com a variação de velocidade, no nosso caso ainda possibilitam economia adicional de energia com a função de Energy Saving, que pode ser inclusive ajustada de acordo com o tipo de carga.

Pensando grande

Definitivamente, a automação não é apenas para as grandes operações. Empresas de pequeno e médio porte podem perfeitamente se beneficiar com a introdução de robôs industriais. Ao contrário do que muita gente imagina, a principal função de um robô industrial é somar forças na execução de tarefas que exigem esforço manual contínuo e que muitas vezes podem comprometer a saúde de profissionais nessas indústrias.

Um robô pode mitigar a quantidade de acidentes e/ou afastamentos permitindo que a indústria progrida em seus processos e consequentemente no faturamento. Além disso, é fácil de programar. Através de treinamentos apropriados, muitas vezes oferecidos pelos próprios fabricantes, um operário pode configurar esse robô deixando tudo previamente salvo, evitando desse modo paradas desnecessárias.

Ou seja, um robô pode trazer mais desenvolvimento para o bem estar, saúde e segurança de todos os funcionários, diminuir despesas com afastamentos desnecessários, oferecer ganho de eficiência e precisão, aumentar a estabilidade de produção, colaborar com o desenvolvimento profissional de funcionários. Uma boa regra é ter como meta um ROI de pelo menos dois, três anos, o que ainda gerará pelo menos de 5 a 7 anos de retornos sólidos em uma aplicação típica de robô.

Ao final, a grande lição é que o avanço da tecnologia possibilita cada vez mais que a automação esteja ao alcance de empresas de todos os portes, sem investimentos significativos. Basta contar com parceiros e fabricantes de qualidade e com experiência no segmento.

Gostou? Então compartilhe:

Valmir Melo da Trindade

Coordenador de vendas da área de Automação Industrial da Mitsubishi Electric.